É quando estou sozinha, no escuro do meu quarto, que eu lembro de você. Todas as memórias voltam com extrema força, e me derrubam da maneira mais brutal que alguém possa imaginar. Eu fecho os olhos, penso, digo e repito várias, inúmeras vezes: “Não vale a pena, nunca valeu, nem nunca valerá.”
Por sua causa eu parei com algumas de minhas manias, parei de ouvir o meu cantor predileto e as minhas músicas, deixei de gostar da cor azul e deixei de lado todo aquele futuro que tinha planejado, todo aquele potencial jogado fora… Por absolutamente, nada.
Mas é incrível como minha mente me faz lembrar de você até em mínimos detalhes. A minha única esperança é o esquecimento, que um dia ele irá chegar e te levar pra bem longe de mim.
Desabafo da solidão.
Infinitos Maiores.
Em tantos milênios, os humanos nunca entenderam o amor. Quanto é físico, quanto está na mente? Quanto é acidente, quanto é destino? Por que casamentos perfeitos se desintegram e casais impossíveis prosperam? Não sei as respostas nem um pouco mais que eles. O amor simplesmente está onde está
 A Hospedeira.   (via inverbos)
Apaixone-se por alguém que te curte, que te espere, que te compreenda mesmo na loucura; por alguém que te ajude, que te guie, que seja teu apoio, tua esperança. Apaixone-se por alguém que volte para conversar com você depois de uma briga, depois do desencontro, por alguém que caminhe junto a ti, que seja teu companheiro. Apaixone-se por alguém que sente sua falta e que queira estar com você. Não apaixone-se apenas por um corpo ou por um rosto; ou pela ideia de estar apaixonado.
Tati Bernardi.    (via inverbos)